O que está em jogo na discussão sobre o marco legal da geração própria de energia



Hoje quem investe em sistemas de geração distribuída como a energia solar fotovoltaica, tem direito a créditos na conta de luz equivalentes a toda energia produzida pelas instalações, sendo as mais comuns as geradas a partir de painéis solares.


a Absolar, Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica, divulgou um estudo destacando que a geração distribuída (GD) solar pode gerar R$ 173 bilhões de economia aos consumidores até 2050.


O projeto do marco legal em tramitação na Câmara dos deputados prevê cobrança gradual de encargos sobre os créditos gerados pelos sistemas de GD, mas concede isenção por até 26 anos para instalações existentes.


Com o avanço da matéria no Congresso, favoráveis e contrários aos incentivos garantidos à Geração distribuída tem divulgado números entre os favoráveis e contrários aos incentivos hoje garantidos à geração distribuída, que fizeram com que o nicho crescesse rapidamente no Brasil. No ano passado, a capacidade incrementada à rede em novos sistemas de GD no país foi maior que a de qualquer outra fonte de energia, superando termelétricas, usinas eólicas e outras tecnologias.

5 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo